Microlearning como metodologia para maior engajamento de treinamentos. Entenda

Treinamento não pode deixar de acompanhar a agilidade da comunicação atual. Conteúdos inadequados não são assimilados e comprometem o resultado de ações de T&D. Conheça o Microlearning e veja como avaliar se esta é a melhor metodologia para seu treinamento.
microlearning_png

A constante evolução da tecnologia e de como nos comunicamos também determina a maneira como aprendemos e retemos informação. Hoje em dia são milhares de anúncios e informações chegando a nós através de smartphones e constantes conexões com a internet. Com esse aumento do volume de informações, nossa atenção fica fragmentada e encontrar longos períodos de foco e aprendizado pode ser um grande desafio.

Neste contexto, diversas soluções em aprendizagem vêm surgindo e uma das mais aclamadas no setor de T&D tem sido o Microlearning. É sobre ele que falaremos hoje, elucidando os conceitos chaves dessa promissora ferramenta, para que você saiba avaliar quando e como utilizá-la para otimizar suas ações de treinamento.

Separamos o conteúdo deste artigo em:

  • Microlearning, o que é, e porque está revolucionando a educação corporativa
  • A importância dos indicadores para avaliação e planejamento de treinamentos
  • Como avaliar se Microlearning é a melhor opção para seu T&D
  • Boas práticas para execução de um treinamento Microlearning
  • Apresentação de cases: Microlearning no dia-a-dia das empresas

 

1. Microlearning, o que é, e porque está revolucionando a educação corporativa

 

Microlearning é o termo utilizado para a estratégia de utilização de conteúdos curtos e objetivos em sessões de aprendizado espaçadas. Original do inglês “micro”=micro e “learning”=aprendizado, Microlearning consiste na sintetização e fragmentação de conteúdos extensos em partes menores, para que possam ser assimilados de maneira rápida. É um formato modular de transmissão de informações, que ocorre em curtas sessões de aprendizagem e que pode utilizar diferentes mídias e interações (vídeos, infográficos, textos, jogos, etc.) para transmitir o conhecimento desejado.

Mais do que apenas transformar conteúdos extensos em conteúdos menores, ou “pílulas de conteúdo”, o Microlearning é uma solução completa que engloba abordagens estratégicas de design instrucional para entregar resultados consistentes. Veremos isso mais adiante, no item 4. Boas práticas para execução de um treinamento microlearning, mas primeiro vamos entender como e de onde surgiu esse conceito.

O conceito de Microlearning foi pensado junto aos processos naturais de aprendizagem do cérebro humano e, aliado ao uso das tecnologias, oferece soluções para os atuais desafios de retenção de informação e engajamento. 

Sabemos que o processo de aprendizado humano ocorre através dos sentidos e que as rápidas mudanças que enfrentamos na maneira como nos comunicamos e aprendemos estão estreitamente ligadas com a utilização de metodologias ágeis para comunicação e treinamento.  

 

 

Em uma realidade em que as pessoas olham o celular 9 vezes por hora (fonte: modern-learner-profile-infographic) em uma acirrada competição por atenção, e onde o consumo de conteúdo audiovisual em pequenas doses encontra-se em alta (TikTok, Instagram, YouTube) parece natural que metodologias de aprendizagem rápidas estejam em ascensão. Neste cenário, o Microlearning tem se destacado.

A teoria do Microlearning tem como base os estudos do cientista Hermann Ebbinghaus, pioneiro no campo da análise de retenção de informação e memória humana. Ele desenvolveu a teoria da Curva de Esquecimento, que ilustra o quanto de informação o cérebro retém ao longo do tempo, e o quão rápido o cérebro esquece as informações não utilizadas:

Segundo Ebbinghaus, no momento em que estamos aprendendo, basicamente podemos acessar toda a informação assimilada. Em 20 minutos, essa retenção cai para 58% e em 1 hora esse número cai para 44%. Ao final do primeiro e segundo dia sobram 33% e 28% de retenção respectivamente, e em mês, ficam apenas 21%. Ou seja, esquecemos praticamente 80% do que foi assimilado em um mês, caso o aprendizado não tenha sido utilizado. 

Isso é um mecanismo natural do cérebro humano e um processo necessário. Somos bombardeados de informações constantemente, filtrar o que é retido é um mecanismo de sobrevivência. Nosso cérebro possui mecanismos naturais para filtrar e selecionar as informações que serão armazenadas, por isso lidar estrategicamente com fatores como relevância, tempo e quantidade de informações é crucial para uma sessão de aprendizagem, e o cerne do Microlearning.

Outro fator importante dos estudos de Ebbinghaus mostra-nos que para que a informação passe a fazer parte de nossa memória de longo prazo, além do conteúdo ser claro e objetivo, é importante que haja repetição ao longo do tempo, o que ele chama de Sistema de Repetição Espaçada. 

A partir desses conceitos, destacamos dois dos principais pilares do Microlearning que são: oferecer conteúdos curtos e focados ao longo de intervalos sistematizados. Ou seja, ao invés de desenvolver um conteúdo extenso, que será passado em um grande bloco de conteúdo, busca-se reparti-lo em pequenos módulos, com um objetivo claro em cada, que não sobrecarregue o aprendizado e que permeie a memória de longo prazo através da repetição e uso prático do que foi aprendido. Agora, como saber se esse é o melhor formato para seu treinamento? Primeiro precisamos pensar no planejamento da trilha de aprendizagem e em como mensurar os resultados esperados de uma sessão de treinamento.

 

 

2. A importância dos indicadores para avaliação e planejamento de treinamentos

 

Antes de pensar no plano de aula e no formato do conteúdo, é preciso entender com clareza os objetivos da organização com o treinamento e suas necessidades, além de conhecer bem o público que receberá o aprendizado. Assim, será possível pensar de forma estratégica na escolha dos indicadores que ajudarão de fato a enxergar os resultados do programa de T&D, o que representa uma das maiores dificuldades para os programas de treinamento e desenvolvimento. 

É preciso obter uma visão clara sobre o desempenho e como a mudança conquistada com a sessão de T&D será mensurada, para que a escolha dos indicadores e metodologias sejam adequadas e identificar se o Microlearning poderá ser uma ferramenta aliada.

Os resultados esperados podem ser os mais variados como, por exemplo, otimização de processos internos, redução de custos operacionais, diminuição de reclamações pelo público externo, aumento em vendas, maior satisfação do cliente, entre outras. 

Aqui na Lys costumamos receber muitas demandas de treinamentos onde as empresas debruçam suas metas de T&D anuais baseadas em:

Horas de treinamento | Quantidade de colaboradores | Valor investido por colaborador

Esses indicadores ainda são os mais utilizados para avaliar o desempenho de treinamentos, mas servem muitas vezes mais para avaliar a atuação do setor e seus esforços, do que revelar sobre a efetividade das mudanças conquistadas através das sessões de aprendizagem em si. Como podemos observar no gráfico do Panorama de Treinamento no Brasil 2019/2020, um estudo realizado pela Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD), as avaliações de ROI e Impacto no negócio são os indicadores menos realizados:

Sabemos que todo esforço de treinamento visa uma mudança favorável e um impacto positivo, tanto para o negócio quanto para o desenvolvimento pessoal dos participantes. Porém o uso arcaico de indicadores quantitativos não alcançam essa visão e atrapalham na decisão por metodologias ágeis e escaláveis. 

Trazemos abaixo algumas reflexões para quebrar alguns paradigmas. 

Como selecionar ferramentas escaláveis, que reduzem o valor por colaborador conforme o aumento do público, se a meta está no valor/colaborador?

Se o resultado for medido por horas/treinamento, como inserir metodologias ágeis, cientificamente comprovadas a entregar melhores resultados de assimilação e engajamento, como possibilidade na hora de escolher ferramentas para o treinamento?

Como atingir um maior número de colaboradores possível, sem perder qualidade ou estourar o orçamento?

Como garantir que o aprendizado seja aplicado no trabalho e reflita em impactos positivos e num ROI favorável?

Ferramentas ágeis, como o Microlearning, não são a resposta para todos os desafios de T&D mas oferecem inúmeras vantagens quando bem aplicadas. Cada treinamento tem seus objetivos e necessidades específicas. Com o uso de indicadores inadequados, metodologias inovadoras como o Microlearning perdem espaço aos olhos das empresas e ficam muitas vezes de lado. Precisamos ampliar esse olhar e selecionar corretamente os indicadores na hora de decidir a ferramenta ideal para um programa de T&D. É o que veremos no item a seguir. 

 

3. Como avaliar se Microlearning é a melhor opção para seu T&D

 

A utilização do Microlearning atende a diversas situações pois é uma estratégia rica em recursos e muito aceita pelos participantes, por se encaixar facilmente em sua rotina e não demandar muito tempo. Quando bem executado, as vantagens do Microlearning são evidenciadas rapidamente. 

Vamos levantar então alguns desses benefícios para que possamos enxergar com clareza quando o Microlearning é efetivo e se é a ferramenta adequada às necessidades de sua organização:  

 

Benefícios do Microlearning:

 

Otimização de tempo: Além de exigir menos tempo de foco e dedicação, a aplicação do Microlearning também significa menos tempo de trabalho realocado e menor pressão por acúmulo de tarefas no dia-a-dia do colaborador. 

Conteúdo na palma da mão: Conteúdos rápidos, objetivos e fáceis de serem assimilados aliados à utilização de tecnologias móveis, como o celular ou tablet, permitem que o participante acesse o conteúdo com flexibilidade, de qualquer lugar, sem atrapalhar sua rotina.

Personalização de trilhas de aprendizagem: O Microlearning busca tratar de um assunto por módulo, assim, é possível dividir os conteúdos em diversas trilhas de aprendizagem, permitindo a segmentação e a oferta de conteúdos mais assertivos para cada grupo de participantes. 

Maior dinamismo e engajamento: A utilização do Microlearning, principalmente através do celular, permite o uso de recursos de mídia variados, como vídeos, áudios, animações, imagens de apoio, etc. Dessa forma o aprendizado se torna mais dinâmico e facilita o engajamento e participação.

Otimização da retenção de conhecimento: Com o ritmo acelerado da comunicação, o Microlearning oferece uma solução voltada à otimização do aprendizado, pois oferece conteúdos objetivos, práticos, que cabem na rotina do participante com repetição e entrega espaçada. Assim, a retenção do conhecimento é um dos principais benefícios dessa ferramenta.

Simplificação de conteúdos complexos: O Microlearning não é a ferramenta ideal para treinamentos altamente técnicos ou conteúdos extensos, porém é uma ótima alternativa para apoio, permitindo que sejam introduzidos conceitos complexos em formatos curtos, com o objetivo de fornecer informações introdutórias ou revisão de conteúdos pontuais.  

Aplicação de treinamentos on-time: Muitas vezes é necessário treinar ou passar alguma informação rápida para um membro da equipe, sem retirá-lo de sua função. O Microlearning oferece a possibilidade desse aprendizado compacto, que pode ser integrado imediatamente, on-time, entregando o resultado do aprendizado na hora, durante o trabalho. 

Adequação à cultura das gerações mais novas: Por trabalhar com conteúdos rápidos e dinâmicos, o Microlearning dialoga estreitamente com as necessidades das gerações mais novas que estão habituadas a buscar informações rápidas e consumir conteúdos multimídias de curta duração.

Manutenção simplificada de novos conteúdos: Quando pensado em módulos, o Microlearning trabalha objetivos únicos, um por etapa. Assim, caso sejam introduzidos novos materiais, o remanejamento da trilha de aprendizagem é possível sem a necessidade de alterar todo o conteúdo do treinamento.

Ações de relacionamento contínuas: Por não tomar muito tempo, o Microlearning pode fazer parte da rotina diária do seu público, permitindo ações de relacionamento contínuas, sejam elas informativas ou até mesmo para pesquisas e coleta de informações.

 

4. Melhores práticas para execução do Microlearning

 

Mais do que apenas transformar conteúdos extensos em conteúdos menores, o Microlearning é uma solução completa que engloba abordagens estratégicas de design instrucional para entregar resultados consistentes. Vejamos algumas das principais práticas dessa ferramenta:

  1. Um módulo de Microlearning não ultrapassa mais de 5 minutos e se ajusta à rotina do participante.
  2. O conteúdo deve ser objetivo e a linguagem empática. O reconhecimento do valor do aprendizado proposto, aliado à agilidade da ferramenta faz com que o Microlearning atinja ótimas taxas de engajamento.
  3. Microlearning utiliza trilhas de aprendizagem, que é a combinação de uma série de módulos de conteúdos curtos que, juntos, entregam o conhecimento completo e a mudança intencionada através das sessões de treinamento.
  4. Cada módulo deve tratar de apenas 1 tema por vez. Assim a informação fica mais objetiva e de fácil absorção, sem desviar a atenção do participante e garantindo maior aproveitamento e retenção da informação.
  5. Microlearning deve ser pensado em cima de conteúdos práticos com foco na aplicação imediata do conhecimento. A aplicação e repetição do aprendizado é uma das metodologias para combater a Curva de Esquecimento, possibilitando melhor aproveitamento do conteúdo.
  6. A entrega espaçada dos módulos de Microlearning reforça a memorização e ajuda no engajamento e retenção do aprendizado. As entregas de conteúdo devem ser estrategicamente divididas e espaçadas ao longo de um período de tempo.
  7. A utilização de ferramentas digitais móveis, como o smartphone ou tablet, permitem o uso de recursos de mídia que estimulam ainda mais o aprendizado. Vídeos, áudios, interação humanizada na palma da mão, acessível em qualquer janela de tempo é sucesso na aplicação do Microlearning.
  8. O acompanhamento do desempenho do participante durante os módulos de microlearning aumentam o engajamento. Além de interagir quando necessário para garantir a participação, o fornecimento de feedback é parte importante do aprendizado.

A Lys é especialista em soluções de treinamentos de alto engajamento. Somos a primeira plataforma de treinamento e aprendizagem Microlearning por WhatsApp do Brasil.

Criamos e adaptamos conteúdos para treinamentos à distância, ações de relacionamento e pesquisas, através de formatos ágeis e dos canais de comunicação mais acessados na atualidade.

Conte com nossa equipe para aplicar soluções Microlearning com excelência junto à sua organização. Se quiser nossa visão sobre algum projeto ou queira saber mais sobre nossa ferramenta, clique aqui e fale agora com um de nossos profissionais.